Jornal Correio Joseense, disponibilizado pelo Pró-Memória, registra a comemoração da data na cidade em 1927

Uma edição do jornal Correio Joseense de 8 de setembro de 1927 relata como a população de São José dos Campos comemorou o 7 de setembro, dia da Proclamação da Independência, há 90 anos. O site do Pró-Memória guarda essa e outras edições que revelam o cotidiano da cidade no passado.

No artigo “Gloriosa Data” o jornal conta como foi a festa no Tiro de Guerra 545, que recebeu uma nova bandeira oferecida pela comunidade e depois desfilou nas ruas principais.

Também houve sarau no grupo escolar Olympio Catão, dirigido pelo professor Affonso Cesar de Siqueira, que proferiu discurso patriótico, além de outros eventos pela cidade. “No Coreto da Praça Cônego Lima, a Corporação Musical São Benedito, sob a batuta do maestro Enrico Della Rosa, realizou uma retreta (exibição de banda de música em local público), cujos números foram geralmente aplaudidos. No salão do Teatro São José, uma comissão organizou um sarau dançante a que compareceram muitas famílias. As danças estiveram muito animadas.”

Já a edição de 7 de setembro de 1947 conta que a Associação Romão Gomes de Amigos das Tradições Nacionais organizou uma programação com hasteamento da bandeira e desfile. E o padre João Guimarães organizou um cortejo cívico-religioso à noite até a Igreja Matriz.

O Correio Joseense circulou de 1920 a 1967 registrando o cotidiano da cidade na época. Para conferir as edições do Correio Joseense, basta entrar no site do Pró-Memória, clicando no ícone na página inicial da Câmara, e digitar “Correio Joseense” na barra de busca da página inicial. Serão listadas todas as edições digitalizadas separadas pelo ano. O conteúdo também pode ser acessado diretamente pelo link: http://goo.gl/ITOXY8

O site abriga ainda os sete livros publicados pelos integrantes do Pró-Memória, imagens e documentos antigos, artigos, fotos, teses, dissertações e mais de 30 mil documentos do Fórum de São José dos Campos entre os anos de 1803 a 1970. O Projeto Pró-Memória foi criado em 2003 por meio de convênio entre a Câmara, a Fundação Cultural Cassiano Ricardo, que mantém o Arquivo Público, e a Univap (Universidade do Vale do Paraíba).