Este artigo propõe discutir a fuga como instrumento da construção de liberdade, em análises de documentos de tutela e contratos de soldada, no Pós-Abolição nas cidades de Paraibuna, São José dos Campos e Jacareí, no Vale do Paraíba Paulista. A intensificação da tutela sobre crianças e jovens tem sido observada por historiadores no pós-abolição. Estudos têm demonstrado que nesse momento, a utilização do trabalho infantil, pode ter sido uma alternativa para suprir a demanda por mão de obra, com o final da escravidão.

A FUGA COMO CONSTRUÇÃO DA LIBERDADE EM PROCESSOS DE TUTELA E CONTRATOS DE SOLDADA NO PÓS-ABOLIÇÃO