Este trabalho tem o objetivo de discutir as condições das mulheres pobres, solteiras, e a sua relação com a maternidade no pós-abolição, com base na analise de processos de tutela de órfãos do ano de 1888, do 2° Cartório de São José dos Campos, SP, situado no Vale do Paraíba Paulista. Para exemplificar a condição da mulher e a questão da maternidade, foi escolhido um processo que se encontra no Arquivo Público Municipal de São José dos Campos, localizado na caixa de número 746 do 2° Cartório Cível da cidade, A trajetória de vida dessas mulheres pobres, solteiras, que tentam sobreviver em um mundo sem grandes oportunidades mostra um percurso de luta constante pela sua própria sobrevivência e a de seus filhos no cenário do pós-abolição.

MULHERES SOLTEIRAS POBRES E A MATERNIDADE NO PÓS-ABOLIÇÃO