Este artigo discorre sobre a representação social da tuberculose e suas transformações a partir da segunda metade do século XIX. Inserido no campo da História Social, o estudo nos permite compreender, por meio da análise qualitativa com domínio na História das Representações, a história de diferentes grupos sociais que coexistiam a partir da segunda metade do século XIX. A tuberculose, antes romantizada em prosa e verso, ligada aos grupos intelectualizados, passou a representar uma ameaça à ordem social, notadamente no momento de imposição do capitalismo e do modelo burguês, que estabeleceram uma nova lógica urbana, baseada na segregação e isolamento do doente.

As representações sociais da tuberculose na segunda metade do seculo XIX