Notícias

Câmara sedia palestra sobre Síndrome de Down e reúne mais de 150 pessoas

A maior parte do público presente era formada por familiares de pessoas com síndrome de Down, além de profissionais da saúde


Câmara sedia palestra sobre Síndrome de Down e reúne mais de 150 pessoas

Palestrante elogiou a iniciativa do Legislativo em abrir espaço para a discussão do tema (Foto: Flávio Pereira/CMSJC)

Cerca de 150 pessoas participaram, no último sábado (8), de palestra sobre cuidados e tratamentos para pessoas com Síndrome de Down, ministrada pelo médico geneticista e pediatra Zan Mustacchi, no plenário da Câmara Municipal.

Organizado pela entidade Sinergia 21, de São José dos Campos, o evento reuniu em sua maioria, familiares de pessoas com síndrome de Down e alguns profissionais da saúde. O evento contou com o apoio da vereadora Juliana Fraga (PT), membro das Comissões de Educação e Promoção Social e de Justiça, Redação e Direitos Humanos.

Na primeira parte do evento, Zan Mustacchi apresentou um panorama sobre a síndrome no país, além de abordar os principais tipos de tratamento e cuidados com a saúde de pessoas com a síndrome.

Considerado um dos principais especialistas sobre o tema no Brasil, Mustacchi foi o primeiro latino-americano a receber o prêmio científico do Dia Internacional da Síndrome de Down, em 2015, pela contribuição às pesquisas sobre a síndrome.

Ele também foi premiado Personalidade do Ano de 2017 pelas ações inclusivas para pessoas com deficiência, oferecido pela Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Governo do Estado de São Paulo.

Após a palestra, o médico fez um bate papo informal com o público presente esclarecendo as principais dúvidas da plateia relacionadas a alimentação adequada, saúde respiratória, suplementação vitamínica, sexualidade, deficiência e preconceito, entre outros.

A vereadora Juliana Fraga destacou a importância de ampliar a discussão sobre o tema, assim como a divulgação para o público. É dela o projeto de lei 230/19, apresentado na última sessão, que dispõe sobre o registro e a comunicação dos nascimentos de crianças com Síndrome de Down nos hospitais do município. “Bebês com Síndrome de Down geralmente têm partos prematuros e podem nascer com algumas complicações, que, se rapidamente resolvidas, não deixam sequelas”, disse a vereadora.

O médico citou a iniciativa do poder público em promover políticas públicas que gerem inclusão social. “Temos uma longa caminhada, mas que este trajeto já foi definido, isso já, na perspectiva do direito à cidadania. Tenho certeza que a Câmara de São José fez o seu papel social, oportunizando o agrupamento de pessoas que pensam em melhorar uma determinada situação”.

A síndrome de Down, não é considerada uma doença e sim uma condição genética. Ela é causada pela presença de três cromossomos 21 em todas ou na maior parte das células de um indivíduo. Isso ocorre na hora da concepção. As pessoas com síndrome de Down, ou trissomia do cromossomo 21, têm 47 cromossomos em suas células em vez de 46, como a maior parte da população.

O Dia Internacional da Síndrome de Down foi proposto pela Down Syndrome International como o dia 21 de março, porque esta data se escreve como 21/3, o que faz alusão à trissomia do 21.


Palavra(s)-chave(s): Síndrome de Down, Zan Mustacchi