Câmara tem nova ferramenta de pesquisa de projetos, leis e documentos. Acesse Processo Legislativo.

Notícias

Vereadores participam de consulta pública sobre a ponte estaiada

Prefeitura promove reunião para ouvir a população e representantes da sociedade civil organizada


Vereadores participam de consulta pública sobre a ponte estaiada

Apresentação do consultor do BID durante reunião sobre a ponte estaiada em auditório do Paço. (Foto: Flávio Pereira/CMSJC)

Vereadores e representantes da sociedade civil estiveram na consulta pública sobre a obra da ponte estaiada, na região oeste, realizada nesta quarta (6) no Paço Municipal. O encontro foi organizado pela prefeitura a pedido do BID – Banco Interamericano de Desenvolvimento, financiador do empreendimento, para atender a nova política do órgão internacional.

Os vereadores Walter Hayashi (PSC), presidente da Comissão de Planejamento Urbano, Obras e Transportes da Câmara; Amelia Naomi (PT); Prof. Calasans Camargo (PRP) e Dulce Rita (PSDB) assistiram às apresentações dos secretários Paulo Guimarães (Mobilidade Urbana) e José Turano Jr. (Gestão Habitacional e Obras) sobre o projeto da ponte estaiada desde sua concepção, desdobramentos e resultados viários esperados. Eles explicaram a origem do recurso destinado e a opção por esse modelo como solução para o fluxo de trânsito na chamada rotatória do Colinas.

Em seguida, o especialista em tecnologia ambiental e consultor do BID Marcelo da Costa comentou os procedimentos por parte do Banco, que incluem estudos de Avaliação Ambiental e Social e Plano de Gestão Ambiental e Social. Segundo ele, está em fase final de formalização um aditivo ao contrato firmado em 2011, prorrogando sua validade e inserindo a obra da ponte estaiada, avaliada em R$ 48,5 milhões, no Programa de Estruturação Urbana.

Ao todo 16 munícipes se inscreveram para falar. Eles questionaram os estudos e pesquisas apresentados, além do modelo adotado alegando que prioriza o transporte individual em detrimento do coletivo. O representante do BID foi convidado a participar de novas reuniões com lideranças comunitárias e com o Conselho Municipal de Meio Ambiente - Comam.

Em sua manifestação, a vereadora Amelia Naomi criticou o processo de definição da obra. “Essa reunião está atrasada, foi feita para cumprir um requisito do BID, mas deveria ter sido realizada no início, antes de abrir a licitação” afirmou.

Já o vereador Walter Hayashi defendeu a necessidade da obra. “A rotatória do Colinas é o principal ponto de estrangulamento do trânsito na cidade e essa obra não atende somente os moradores do entorno; 180 mil veículos passam ali diariamente”, disse. E lembrou o papel de fiscalização do Legislativo: “Nós, vereadores, estamos aqui para ouvir a população e se algum problema for identificado é nossa função também dialogar junto à prefeitura a fim de atender o que for viável”.


Palavra(s)-chave(s): ponte estaiada, BID