Notícias

Orçamento de 2018 prevê investimentos em obras de mobilidade

Projeto deve ser votado nesta quinta (14); sessão terá início às 15h


Orçamento de 2018 prevê investimentos em obras de mobilidade

Vereadores na assinatura do contrato para início da construção da Via Cambuí. (Foto: Flávio Pereira/CMSJC)

A Câmara deve votar nesta semana o projeto de Lei Orçamentária Anual - LOA (PL 386/17) para 2018, que estima a receita e fixa as despesas do município para o próximo ano. O orçamento estimado é de R$ 2,343 bilhões. A maior parte desse recurso já está comprometido com o pagamento de despesas com pessoal, custeios da máquina pública e com prestadores de serviços públicos.

De acordo com o projeto, as secretarias de Saúde e Educação ficam com a maior fatia do orçamento, R$ 691 milhões e R$ 579 milhões, respectivamente. Também entre os maiores orçamentos estão as secretarias de Manutenção da Cidade, com R$ 190 milhões, e as secretarias de Mobilidade Urbana e Gestão Habitacional e Obras, com R$ 101 milhões cada uma.

O pacote de obras da Secretaria de Mobilidade Urbana inclui a construção de um novo sistema viário, a reestruturação do sistema de transporte urbano, recapeamentos de vias e a construção de novas ciclovias. Os recursos, além de próprios, também serão reforçados com operações de crédito, convênios com a Caixa Econômica Federal e com o BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento).

Entre as obras previstas, duas serão financiadas e terão contrapartida do município. Entre elas, o BRT (Transporte Rápido por Ônibus), avaliado em mais de R$ 800 milhões por meio do Programa de Infraestrutura de Transporte e Mobilidade Urbana. Estão reservados R$ 45,4 milhões para 2018, sendo R$ 40,4 milhões da Caixa e outros R$ 5 milhões da administração.

O sistema viário Cambuí-Saigiro Nakamura também faz parte dos investimentos previstos no setor. A obra que terá custo total de R$ 90,3 milhões, será iniciada em 2018. Foram reservados R$ 73,9 milhões, sendo R$ 50 milhões do BID e outros R$ 23,9 milhões da administração. O contrato para o início da obra foi assinado na semana passada. (Leia texto abaixo)

Os convênios da administração com a CEF (Caixa Econômica Federal) somam R$ 4,678 milhões para obras de pavimentação da Avenida Tancredo Neves, recapeamentos asfálticos e implantação de ciclovias.

Contrato

Na semana passada, os vereadores Juvenil Silvério (PSDB), presidente da Câmara; Maninho Cem Por Cento (PTB), membro da Comissão de Transporte; e Dr. Elton (PMDB), acompanharam a assinatura do contrato entre a prefeitura e o consórcio ED, formado pelas empresas Enpavi e DP Barros, que venceu a licitação para construção da Via Cambuí.
A via terá 8,6 km de extensão e vai interligar as regiões sudeste e leste, passando pelas rodovias Tamoios e Dutra. O prazo para conclusão é de 20 meses. Outro consórcio, SJC Infra, formado por Geometric e Cemosa, fará a supervisão e fiscalização, conforme exigência do BID.


Também foi assinado um termo de compromisso de que ao menos 80% do pessoal empregado durante a obra será de trabalhadores que residem na cidade. A expectativa é gerar 250 vagas diretas e mais 500 empregos indiretos. A seleção será feita por meio do Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT).

“Essa obra vai gerar emprego, renda e mobilidade para os moradores dos bairros, desafogando o trânsito”, afirmou Juvenil Silvério.
“Além de melhorar o trânsito e reduzir o número de acidentes nessa região que estava desassistida, outro aspecto é a economia feita na licitação, pois originalmente o projeto estava orçado em 140 milhões de reais”, lembrou Dr. Elton.
“Essa obra vai ser de grande valia para a comunidade não só impactando o tráfego, mas trazendo desenvolvimento”, disse Maninho Cem Por Cento, morador da região leste.
 


Palavra(s)-chave(s): mobilidade, orçamento, Via Cambuí