Câmara tem nova ferramenta de pesquisa de projetos, leis e documentos. Acesse Processo Legislativo.

Notícias

São José pode ganhar centro de desenvolvimento e tecnologia agrícola

Anúncio foi feito durante Simpósio de Compras da Agricultura Familiar no Parque Tecnológico


São José pode ganhar centro de desenvolvimento e tecnologia agrícola

Simpósio debateu ações para incentivar a agricultura familiar.(Fotos: Flávio Pereira)

O Ministério da Agricultura avalia a instalação de um centro de tecnologia agrícola em São José e pretende também colaborar na elaboração de um Plano Diretor Rural para a cidade. A iniciativa tem o apoio da Câmara e da prefeitura.

O anúncio foi feito pelo secretário Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, Caio da Rocha, durante o simpósio ‘Compras de Alimentos da Agricultura Familiar’, realizado nesta sexta-feira (26), no Parque Tecnológico.

Segundo Rocha, o potencial tecnológico da cidade fortalece a possibilidade de expansão das atividades agrícolas e da agricultura familiar em São José. Outra vantagem do plano é estimular a proteção ambiental.

“Temos a questão da tecnologia, mas para isso nós devemos organizar os espaços rurais. Hoje, o agricultor é o grande responsável pela preservação ambiental. O que nós preservamos com os agricultores é muito maior que os parques e as reservas.  Com o plano diretor rural será possível reorganizar a produção identificando clima, a questão do solo, o potencial da produção e os melhores produtos para produzir.”

Rocha disse que a Embrapa vai auxiliar o trabalho a partir da instalação do centro de tecnologia agrícola no parque tecnológico. Ele apontou que São Paulo gera R$ 8 milhões em negócios com a agricultura familiar por ano, mas tem potencial de movimentar R$ 124 milhões. “Nós fizemos essa reflexão com vários estados mas principalmente com São Paulo para que a gente possa se organizar, nos somar com que o Estado já está fazendo.”

Durante o simpósio, o coordenador do Codeagro (Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios), José Valverde, disse que a Secretaria de Estado da Agricultura adotou um novo conceito de compras para estimular a agricultura familiar. Segundo ele, neste ano o governo já lançou 277 editais, o que resultou no investimento de R$ 60 milhões em compras. Mas, a meta é chegar a 600 editais até o final do ano, com R$ 100 milhões em compras.

“A política do Governo do Estado é pensar o potencial da compra pública como fator de desenvolvimento econômico e de empoderamento da agricultura familiar”.

Municípios

Nos municípios, a ideia é fortalecer as cooperativas e a interlocução com as secretarias municipais de agricultura.

O secretário de Inovação e Desenvolvimento Econômico, Alberto Mano Marques, comemorou a criação de um centro de desenvolvimento agrícola no Parque Tecnológico. “Prontamente aceitamos a proposta de instalar um centro de desenvolvimento tecnológico agrícola aqui no parque de São José. É uma conversa que está começando. Foi lançada uma ideia e o parque tem condições de receber.”

Segundo ele, a parceria deve envolver a Embrapa e a instalação poderia ser financiada com recursos do Ministério. “Ter a Embrapa no parque tecnológico de São José fazendo pesquisas nesse campo, para nós é motivo de muita alegria e orgulho”.

Uma nova reunião no Ministério do Desenvolvimento Social será agendada para dar prosseguimento ao projeto. “Nós temos vários centros de desenvolvimento tecnológico aqui, de aeronáutica, de defesa, satélite, telecomunicações, TI, de saúde, seria importante termos aqui também um núcleo ligado às questões de tecnologia para a agricultura.”

Com o núcleo de desenvolvimento de tecnologia, Mano acredita que a cidade poderá oferecer assistência técnica de melhor qualidade para produtores, o que irá estimular a cultura de compras governamentais da agricultura familiar. “O centro faz parte do plano estratégico que é uma visão mais alta que o ministério possui. O Ministério certamente nos ajudará a desenvolver esse plano estratégico para zona rural.”

Mapeamento rural

Paralelo aos trabalhos para implantação do novo centro, Mano coordena uma equipe que está mapeando a zona rural da cidade para identificar oportunidades de desenvolvimento econômico, como a da agricultura familiar. O trabalho tem o apoio do presidente da Comissão de Educação e Promoção Social, José Dimas (PSDB).

Segundo Dimas o simpósio mostrou o potencial de investimento que prefeituras e os governos estadual e federal têm para investir na agricultura familiar, aquela produzida por pequenos produtores rurais.

Mas para isso, o poder público deve auxiliar na capacitação dos pequenos agricultores para assim garantir, cada vez mais, alimentos produzidos pela agricultura familiar na merenda das crianças.

Dimas estima que em São José dos Campos existam cerca de 3.000 propriedades rurais. Na avaliação do vereador, a falta de informação sobre o modelo de venda dos produtos, por meio das chamadas públicas, e a ausência de formação dos pequenos produtores são os fatores que dificultam o aumento desses produtos na merenda escolar.

Ele destacou que, em consonância com esta política, a Prefeitura de São José já atua para o fortalecimento da agricultura familiar. A administração prepara uma nova chamada pública, principalmente de hortifruti.

“A parceria entre a Câmara, a prefeitura e a Secretaria Nacional de Segurança Alimentar na elaboração do primeiro Plano Diretor Rural representa um grande avanço para nossa cidade. É a aposta no desenvolvimento econômico e sustentável por meio da agricultura familiar”.